quinta-feira, 7 de março de 2013

Do mundo cá dentro





A tua boca era um jardim,
não era um mundo, não era uma floresta, não era um vale com penedos: era um jardim pequeno onde os dentes eram flores e o sumo da boca relva rente à curva dos dentes. 



Nesse jardim viviam peixes,
porque esse jardim não era um jardim a sério; não era um mundo, não era uma floresta, não era um vale com penedos, era apenas um pequeno jardim onde os dentes eram flores dentro da boca.



E nesse jardim havia um céu onde se achavam conchas e búzios,
e o céu era areia
- o céu não era nuvem, nem vento, nem chuva, nem pássaros molhados
porque este jardim não era um jardim a sério: não era um mundo, não era uma floresta, não era um vale com penedos, era  um pequeno jardim.


E nesse jardim as gengivas eram cercas de madeira que guardavam as flores e a relva e os ramos que nasciam de dentro da boca.
Porque esse jardim não era um jardim a sério: não era um mundo, não era uma floresta, não era um vale com penedos, era um pequeno jardim onde vivia o mar.


(picture: Eric Lacombe)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Texto CAPAZES - A Carrilho o que é de Carrilho

A ler aqui