quinta-feira, 19 de maio de 2016

Problema 30





És desabitado porque onde havia vida, tu levaste o desamor.



És desabitado.

As pedras exiladas recusam-te porque recusam o vento,
o vazio e o nada,
porque tu nunca soubeste levar ninguém na boca:
nunca ninguém seguiu protegida entre os teus dentes,
nunca ninguém sentiu refúgio entre os teus maxilares que atravessavam a Terra.



És desabitado e pequeno e pobre
porque tu nunca soubeste coser pele ou remediá-la depois, com a velha caixa de costura da despensa,
- nunca te vi coseres-me com carinho depois de me veres chorar: eu sentada num eterno retorno e tu



És desabitado e pequeno e pobre
e o pouco
sempre te será o bastante.





Sem comentários:

Enviar um comentário