quarta-feira, 14 de março de 2012

Do corpo e de outros mundos

O que é que vais dizer ao meu corpo
quando o vires aberto diante de ti
no silêncio do desejo?



Que palavras vais dirigir ao meu corpo
quando o analisares desprotegido e sem roupa?


Que sons sairão da tua boca
e que parte do teu corpo servirá o meu?




Que palavras vais dirigir ao meu corpo
quando o vires quieto e lânguido no teu quarto,
deitado na tua cama, por desossar?





O que é que vais dizer
amanhã
ao meu corpo
em carácter de emergência,
por te teres a ti para salvar.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Quando os dedos me caem

quando me disseram que ias morrer, o tempo caiu-me aos pés. mas não foi só ele a ceder vida. com ele a boca, os olhos, o queixo, as sobr...