The mirror and the lamp ou a denotação da linguagem



Um dia perdoas-me
Pela dor e o pelo erro.

Atravesso a realidade que não conheço
Como na caverna.



Comentários

  1. gosto do que escreves, sabe-me a autêntico, sabe-me a gente

    até o que escreves e afinal não existe

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

Para o meu querido Tiago

Pequeno-almoço

A parte boa de amar alguém não é só ver-te dormir