quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Toda a dor do mundo










mil vezes o meu útero ao teu
mil vezes a minha barriga por crescer
mil vezes a minha dor

mil vezes os meus orgãos
mil vezes as agulhas na minha pele
mil vezes as minhas pernas abertas.

mil vezes tudo o que de mau possa acontecer,
mil vezes os meus gritos e a minha sorte
mil vezes em mim toda a dor do mundo.


mil vezes as minhas lágrimas
mil vezes as minhas entranhas
mil vezes a minha dor.

2 comentários:

  1. Nadie puede aguantar todo el dolor del mundo,
    eso sí, pido que me juzgen con la indulgencia
    de quien ha cometido el crimen de nunca haber delinquido.
    SAL

    ResponderEliminar

Texto CAPAZES - A Carrilho o que é de Carrilho

A ler aqui